Descontos da Sabesp serão mantidos, diz Alckmin

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que a intenção do governo é manter a política de bônus nos próximos meses para colaborar com a recomposição dos reservatórios durante o período de chuvas, mas não informou qual será o período preciso de vigência dos bônus.

CIRCE BONATELLI, Estadão Conteúdo

24 de outubro de 2014 | 12h59

Questionado por jornalistas, Alckmin voltou a afirmar que a oferta de água está garantida para toda a região metropolitana e que não há desabastecimento. O que há, segundo argumentou, é o uso de válvulas redutoras de pressão pela Sabesp para evitar o desperdício de água.

O governador também estimou que haverá aumento na economia de água por parte da população com a ampliação dos descontos nos próximos dias. "Até aqui, 80% já reduziram o consumo. Acho que vamos crescer fortemente", afirmou. Alckmin disse que a utilização da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira pode não ser necessária, já que está começando a temporada com maior incidência de chuvas. "Talvez a gente nem precise da segunda reserva técnica. Já passamos pelo período mais seco", afirmou há pouco.

Hoje a Sabesp passou a contabilizar a segunda cota no total disponível no reservatório. Com isso, a capacidade do Sistema Cantareira subiu de 2,9% para 13,6%. "É uma segurança importante para garantir o abastecimento em toda a região metropolitana", ressaltou. O governador falou com jornalistas após participar de cerimônia para assinatura de obras do Minha Casa, Minha Vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.