Desembargador viu risco 'para ordem' para negar habeas

O desembargador Caio Eduardo Canguçu de Almeida, da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, ao negar nesta terça-feira, 13, o pedido de habeas-corpus para o casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, alegou que a prisão preventiva foi "largamente fundamentada". O desembargador sustenta a decisão do juiz Mauricío Fossen, que decretou a prisão preventiva do casal e considera possíveis as tentativas de "descaracterização das provas" por parte dos réus e o risco "para a ordem pública".Ainda entre os motivos para manter a prisão, o desembargador não considera a alegação da defesa de sugestão "prematura da afirmação de autoria" (do crime). Ele afirma que Alexandre e Anna Carolina estão presos preventivamente em decisão fundamentada e que, "após toda a prova colhida, sobressaem inequívoco reconhecimento de indícios de autoria e prova da materialidade da infração".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.