Desemprego no Brasil surpreende e renova mínima do ano

A taxa de desemprego no Brasil contrariou as previsões do mercado e diminuiu em julho, mês em que a renda do trabalhador aumentou, mostraram dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

REUTERS

20 Agosto 2009 | 09h16

O desemprego nas regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE caiu para 8,0 por cento em julho, ante 8,1 por cento em junho. Foi o menor patamar desde dezembro.

Economistas consultados pela Reuters previam uma taxa de 8,3 por cento.

A população ocupada totalizou 21,3 milhões de pessoas, alta de 0,9 por cento sobre junho e de 1,1 por cento contra julho de 2008.

O total de desocupados ficou estável em ambas as comparações, segundo o IBGE.

O número de trabalhadores com carteira assinada cresceu 1,5 por cento mês a mês e 4,2 por cento na comparação anual, para 9,6 milhões.

O rendimento médio real dos trabalhadores foi de 1.323,30 reais, variação positiva de 0,5 por cento ante junho e alta de 3,4 por cento ano a ano.

(Reportagem de Brian Ellsworth)

Mais conteúdo sobre:
IBGEDESEMPREGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.