Deslizamento após tufão soterra até 600 em aldeia de Taiwan

Helicópteros colocaram nesta terça-feira equipes de resgate numa aldeia isolada do sul de Taiwan onde até 600 pessoas ficaram soterradas depois da passagem de um tufão, disseram autoridades.

RAL, REUTERS

11 de agosto de 2009 | 09h36

O sobrevivente Lee Chin-long, de 50 anos, disse ter visto horrorizado a entrada de enormes quantidades de lama que cobriram a maior parte da aldeia com cerca de mil moradores, agora isolada.

"Eu estava vendo do andar de cima da minha casa. A montanha inteira pareceu desabar. Quando vi isso, comecei a correr", disse Lee, refugiado num abrigo da vizinha cidade de Cishan, que se tornou o epicentro das operações de resgate. "Quase todas as casas sumiram, exceto um par."

Nos últimos dias, mais de 80 pessoas morreram por causa do tufão Morakot e da tempestade tropical Etau, sendo 41 em Taiwan, 23 nas Filipinas, 13 no Japão e 6 na China, segundo autoridades desses países. Os prejuízos chegam a centenas de milhões de dólares.

O Morakot provocou chuvas fortes, deslizamentos, transbordamentos de rios e inundações de lavouras em toda a ilha. Um hotel de seis andares foi arrastado para um rio.

O local mais preocupante é mesmo a aldeia de Hsiao Lin, no montanhoso condado de Kaohsiung. As autoridades dizem que há cerca de 600 desaparecidos, provavelmente soterrados.

A Defesa Civil disse que cerca de cem moradores já foram resgatados, mas outros continuam retidos na aldeia.

"Ainda estamos no local verificando", disse um funcionário. O tráfego terrestre está interrompido por causa dos danos em estradas e pontes.

O tufão começou a perder força sobre as regiões costeiras da China depois de castigar Taiwan. Ele provocou inundações no populoso sul da ilha, e os prejuízos agrícolas em todo o país são estimados em mais de 150 milhões de dólares.

A empresa financeira local SinoPac disse que o tufão deve fazer o PIB de Taiwan recuar em mais 0,5 por cento no terceiro trimestre, por causa dos prejuízos no setor de agricultura e turismo.

No Japão, a tempestade Etau aproximou-se da ilha central e de Tóquio, horas depois de um terremoto de magnitude 6,5 que assustou os moradores e afetou os transportes, mas sem provocar danos graves.

A chuva provocada pelo Etau já matou 13 pessoas, e há 15 outras desaparecidas nas regiões de Hyogo e Okayama, no oeste japonês, segundo autoridades municipais.

(Reportagem adicional do bureau de Pequim; Chisa Fujioka em Tóquio; e Rosemarie Francisco in Manila)

Tudo o que sabemos sobre:
TAIWANTUFAODESLIZAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.