Despesas e B2W pressionam lucro da Americanas, ações caem

A Lojas Americanas decepcionou o mercado nesta quarta-feira ao apresentar lucro 13 por cento menor para o segundo trimestre, prejudicado por maiores despesas, endividamento e mais um prejuízo da sua controlada B2W, o que fazia com que as ações da varejista se desvalorizassem em mais de 4 por cento.

Reuters

15 de agosto de 2012 | 15h42

A companhia encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de 37,7 milhões de reais, abaixo da média esperada por seis analistas, de ganho de 46 milhões de reais, segundo pesquisa da Reuters.

Entre janeiro e junho, a empresa viu a linha das despesas financeiras aumentar em 32,8 por cento ante o primeiro semestre de 2011, em função do alongamento do perfil da dívida e da estratégia de investimento em curso.

Ao final de junho, o endividamento total da Americanas somava 5,5 bilhões de reais, pressionado principalmente pelos aportes que vêm sendo feitos em expansão da rede de lojas e melhorias nas operações da B2W.

Na primeira metade de 2012, os investimentos totalizaram 283,2 milhões de reais, com foco principalmente em expansão, reforma de lojas, logística e tecnologia. A empresa informou ter mais de 80 lojas contratadas ou em estágio avançado de negociação.

O resultado também foi prejudicado pelo calendário. Enquanto em 2011 a Páscoa foi comemorada em 24 de abril, neste ano o feriado ocorreu em 8 de abril, concentrando as vendas do período no primeiro trimestre.

Ainda entre os efeitos negativos, um novo prejuízo apurado pela B2W, de 39 milhões de reais no segundo trimestre, também pesou sobre o balanço consolidado da companhia.

"Assim como no trimestre passado, a Lojas Americanas cresce organicamente, avançando em receitas e margens, contudo, continua com seu resultado impactado, negativamente, pelo aumento das despesas financeiras e, novamente, pelo resultado da B2W", afirmou a equipe do BB Investimentos, em relatório.

Às 15h30, as ações da varejista registravam queda de 4,33 por cento, a 14,36 reais, enquanto o Ibovespa tinha alta de 0,02 por cento. Os papéis da B2W recuavam 3,42 por cento.

A Americanas teve receita líquida de vendas e serviços de 2,566 bilhões de reais no trimestre passado, alta anual de 5,3 por cento. Já o custo de mercadorias vendidas e serviços prestados cresceu 5 por cento, a 1,796 bilhão de reais.

O resultado financeiro líquido da rede de varejo apresentou alta de 11 por cento nas despesas, a 190,6 milhões de reais.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou 311 milhões de reais, ligeiro aumento de 3,7 por cento ano a ano. No período, a margem ficou praticamente estável, em 12,1 por cento.

(Por Vivian Pereira)

Mais conteúdo sobre:
CONSUMOAMERICANASRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.