Deu rolo neste macarrão

            

Mark Bittman - THE NEW YORK TIMES,

10 de fevereiro de 2011 | 12h27

 

 

 

 

 

Pouca gente ainda faz macarrão fresco em casa, e é fácil saber por quê. Quem é que não desanima ante uma parafernália de montes de farinha, tábuas de cortar e máquinas das quais saem longas tiras de macarrão?

Felizmente, há um jeito mais fácil de fazer pasta em casa. Com um processador, o processo se torna rápido, e o rolo, que antecedeu a máquina de macarrão, ainda funciona perfeitamente - embora, no longo prazo, a máquina possa tornar a vida bem mais fácil.

E por que esquentar a cabeça com formatos complicados de macarrão? Os fazzoletti, retangulares ou quadrados, são fáceis de cortar e tão tradicionais e deliciosos quanto qualquer outra pasta.

A massa, aqui no caso, é do clássico estilo Emilia-Romagna, mas incrementada com ovos, o que a torna mais fácil de manusear, com uma bela cor e deliciosamente rica.

 

Confira a receita:

linkFazzoletti ao pesto pedaçudo

A maneira tradicional de começar o preparo é fazer um buraco em um monte de farinha de trigo (como se fosse um vulcãozinho), quebrar ovos dentro dele e, com um garfo, ir misturando devagar a farinha e os ovos (ou pode-se fazer isso no processador, o que é bem mais rápido).

Feita a massa, é preciso deixá-la descansar, caso contrário vai dar trabalho manuseá-la. Com meia hora de repouso a temperatura ambiente (ou mais, na geladeira), ela ficará mais maleável e fácil de trabalhar.

Aí usa-se o rolo de macarrão (ou uma garrafa de vinho) para ir afinando a massa até a espessura desejada. Não se preocupe com as bordas irregulares. Corte a massa em quadrados - ou retângulos, ou triângulos, ou o que quer que seja - e cozinhe até ficarem macios.

Você pode servir os fazzoletti só com manteiga e parmesão ou borrifados com uma mistura de azeite e alho. Eu usei um pesto rústico com pedacinhos de pinole - um molho tão rude, saboroso e adorável quanto a própria pasta.

 

Veja também:

linkEntre pitadas e piladas

linkPasseio ibérico em 200 metros

linkComida gourmet na garagem

linkDa casa de seu Gildo para a Casa Rovigo

linkA uva que não gosta de viajar

linkUma nova invasão argentina está pronta. E o nome dela é Torrontés

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.