Devido aos protestos, Senado restringe acesso

Os servidores do Senado receberam orientações especiais, por e-mail, sobre acesso à Casa nesta quinta-feira. Devido aos protestos previstos, a Polícia Legislativa pediu aos funcionários que não estacionassem ao longo do Eixo Monumental, como de costume, e avisou que a entrada pela chapelaria e pela rampa do prédio ficará restrita a pessoas autorizadas pela Secretaria de Polícia Legislativa a partir de 15 horas.

DÉBORA ÁLVARES, Agência Estado

20 de junho de 2013 | 13h29

Há duas manifestações previstas para esta quinta-feira em Brasília: uma com concentração às 16 horas, na Rodoviária do Plano Piloto, e outra que vai reunir manifestantes a partir de 17 horas, no Museu da República. O movimento promete reunir mais do que as 10 mil pessoas que invadiram o gramado e a área de cobertura do Congresso Nacional, onde ficam as cúpulas da Câmara e do Senado, na segunda-feira, 17.

Líder do PT na Casa, o senador Wellington Dias (PT-PI) destacou que a medida é apenas preventiva e visa evitar danos ao patrimônio público e garantir o funcionamento do Congresso. Ele defendeu o protesto pacífico. "O que for crime deve ser tratado como crime, mas a manifestação deve ser recebida como algo próprio da democracia. É legítima a manifestação, mas também necessário ao País que as instituições funcionem."

Tudo o que sabemos sobre:
protestosSenadoacesso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.