Reprodução
Reprodução

DHPP pede mais um mês para concluir caso Pesseghini

Prazo, segundo a Polícia Civil, servirá para a análise dos laudos periciais, entregues nessa segunda-feira, 02, pelo Instituto de Criminalística e pelo Instituto Médico Legal (IML)

GABRIELA VIEIRA, Agência Estado

03 de setembro de 2013 | 16h09

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) informou nesta terça-feira, 03, que pedirá à Justiça mais 30 dias para concluir o inquérito sobre as mortes da família Pesseghini. O prazo, segundo a Polícia Civil, servirá para a análise dos laudos periciais, entregues no final dessa segunda-feira, 02, pelo Instituto de Criminalística e pelo Instituto Médico Legal (IML).

Ainda de acordo com a polícia, não há novos depoimentos previstos no inquérito. Ao longo das quatro semanas de investigação, o delegado responsável pelo caso, Itagiba Franco, ouviu 48 testemunhas. Além dos laudos técnicos, o DHPP receberá uma avaliação psicológica do estudante Marcelo Pesseghini, feita pelo psiquiatra forense Guido Palomba.

O garoto, de 13 anos, é o principal suspeito de matar os pais - o casal de policiais militares Luis Marcelo e Andreia Regina Pesseghini - , a avó materna e uma tia-avó. Segundo a principal linha de investigação da polícia, Marcelo assassinou a família durante a madrugada do dia 5 de agosto. Em seguida, ele teria dirigido o carro dos pais até o colégio onde estudava e, pela manhã, assistiu às aulas. Em depoimento, colegas de Marcelo afirmaram que ele contou sobre o crime aos amigos. Ao voltar para casa, na Brasilândia, na zona norte de São Paulo, o menino teria cometido suicídio.

Mais conteúdo sobre:
chacinaPMsinquérito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.