Dieta de astronautas chineses poderá incluir bicho-da-seda

Os bichos-da-seda poderão se transformar na dieta dos astronautas chineses no espaço devido a seu alto teor de proteínas, informou em seu site a agência estatal de notícias Xinhua. "Do ponto de vista nutricional, têm um alto conteúdo protéico, que o organismo assimila de forma eficiente. Além disso, são práticos, fáceis de criar, crescem rapidamente e não é necessário contar com grandes superfícies", defendeu o pesquisador Yang Yunan.Yang é um dos cientistas que participam da 36ª Assembléia Científica Internacional para a pesquisa Espacial, esta semana, em Pequim. "Além disso, os bichos-da-seda não cheiram mal nem produzem excrementos", acrescentou.Analistas chineses descobriram que cinco ou seis bichos-da-seda contêm a mesma quantidade de proteínas que um ovo, e que nos seus casulos se encontram oito tipos de aminoácidos vitais para o ser humano. Por isso, começaram a investigar nesta linha.A pesquisa para resolver os problemas derivados da vida no espaço levou a outras soluções em países como Estados Unidos, Rússia e Japão. Os americanos, por exemplo, estudaram trigo e soja. Mas o ser humano precisa de proteínas de origem animal, por isso cientistas de alguns países estudam as propriedades nutritivas e a possibilidade de criar no espaço ouriços do mar, cobras e tritões.Durante a assembléia científica em Pequim, os especialistas chineses também apresentaram um programa de computador que permite medir a exposição à radiação sofrida pelos astronautas.Nos últimos anos, a China entrou na corrida espacial que, em outubro de 2005, permitiu ao país pôr em órbita durante cinco dias a nave Shenzhou VI, tripulada por dois "taikonautas" (astronautas chineses).

Agencia Estado,

18 de julho de 2006 | 01h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.