Dilma admite que país não tem saúde 'minimanente razoável'

A presidente Dilma Rousseff, que concorre à reeleição, admitiu nesta segunda-feira que o sistema de saúde do país não tem uma situação "minimamente razoável" mesmo após quase 12 anos de governo petista.

REUTERS

18 Agosto 2014 | 21h23

Dilma concedeu entrevista ao Jornal Nacional nesta segunda e ao ser questionada se considerava que a situação do sistema de saúde no Brasil podia ser classificada como minimamente razoável, ela disse que não.

"Não, não acho. Até porque o Brasil precisa de uma reforma federativa", argumentou Dilma tentando explicar que o governo federal não poderia ser responsabilizado por todos os problemas.

Um pouco antes, quando discorria sobre o programa Mais Médicos, que importou médicos de outros países para atender no Sistema Único de Saúde (SUS), a presidente já havia dito que nessa área o governo tem desafios a serem vencidos.

"Nós tivemos e ainda temos muitos desafios a enfrentar na saúde", afirmou.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA DILMA JN*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.