Dilma afirma em Davos que emergentes terão papel estratégico no mundo

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, em discurso no Fórum Econômico Mundial em Davos (Suíça), que os países emergentes continuarão a ter papel estratégico no cenário mundial, ressaltando que o Brasil precisa e quer investimentos privados, nacionais e externos.

Reuters

24 de janeiro de 2014 | 13h03

Dilma disse ainda que o horizonte dos emergentes aponta na direção das "oportunidades".

Em sua primeira participação no evento na Suíça, a presidente disse ainda que a responsabilidade fiscal é princípio "basilar" da visão de desenvolvimento econômico e social do Brasil e que o governo vai aprimorar o controle das contas dos entes federados.

Dilma também prometeu, durante o discurso, aumentar a taxa de investimento em relação ao PIB para sustentar o crescimento no longo prazo e acrescentou que neste ano será realizado o primeiro leilão de ferrovia no Centro-Oeste.

Dilma aproveitou o discurso no evento realizado na Suíça para reiterar que o Brasil está preparado para receber a Copa do Mundo deste ano.

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMADAVOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.