Dilma anuncia R$32,9 bi para inovação tecnológica e mira competitividade

Ao anunciar investimentos de 32,9 bilhões de reais em um plano de inovação tecnológica em diversos setores da economia, a presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira que o país precisa inovar para elevar sua competitividade.

Reuters

14 de março de 2013 | 13h16

Os investimentos do Plano Inova Empresa serão feitos neste ano e no próximo, incluindo financiamento de 20,9 bilhões de reais com taxas subsidiadas dados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia.

Segundo o governo, o plano deve receber um aporte de 3,5 bilhões de reais da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que serão destinados a atividades de pesquisa e desenvolvimento do setor.

"Eu acredito que nós vamos crescer com todas as medidas que tomamos em busca da competitividade em nosso país, em todos os gargalos que nós tentamos superar e conseguimos", disse a presidente.

"Nós estamos comprometidos com a indústria no Brasil, nós estamos comprometidos com o aumento da taxa de investimento no país e estamos comprometidos também em abrir um processo de discussão em que temos que discutir, nesses próximos 10 anos, aonde a gente quer chegar."

A baixa taxa de investimento tem pesado sobre o crescimento da economia, que teve fraca expansão, de somente 0,9 por cento em 2012.

O plano, segundo a pasta de Ciência e Tecnologia, terá ações estratégicas nos setores de agropecuária e agroindústria, energia, petróleo e gás, saúde, defesa, tecnologia da informação e comunicação e de sustentabilidade e socioambiental.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMAINOVACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.