Leonardo Augusto
Leonardo Augusto

Dilma aproveita viagem a BH e visita Fernando Pimentel

Presidente afastada participou de evento com blogueiros antes de ir para condomínio visitar o amigo e governador de Minas

Bernardo Caram, enviado especial, O Estado de S.Paulo

21 Maio 2016 | 17h19

BELO HORIZONTE - A presidente afastada Dilma Rousseff aproveitou a passagem por Belo Horizonte na noite desta sexta-feira, 20, para visitar o amigo e governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Já era fim da noite quando a petista deixou o hotel no centro de Belo Horizonte, onde participou de evento com "blogueiros progressistas", e seguiu para um condomínio fechado de alto padrão nas redondezas da capital mineira.

Dilma esteve na capital mineira para participar do 5º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais e usou o ato para defender seu mandato e criticar a gestão do presidente em exercício Michel Temer. No centro da cidade, foi recebida por milhares de manifestantes favoráveis a seu governo.

Já no condomínio para onde se dirigiu, a presença da presidente foi notada por moradores e gerou estranheza pelo volume de policiamento, que foi reforçado no local. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a confirmar a ida a Belo Horizonte, mas acabou cancelando. Já o deputado federal e ex-ministro Patrus Ananias, que estava no evento com Dilma, pediu para ser liberado do jantar, porque precisava ir a um aniversário. Após o encontro, Dilma seguiu para o aeroporto e chegou a Brasília pouco antes das 3 horas da manhã.

Ex-ministro de Dilma, Pimentel tem enfrentado uma série de acusações na Justiça. No início do mês, a Procuradoria-Geral da República denunciou o governador de Minas por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O petista é acusado de receber propina de R$ 2 milhões durante sua gestão no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pasta que comandou de 2011 a 2014. Sua defesa diz que o processo tem vícios e deve ser anulado.

Também neste mês, a Justiça de Minas Gerais mandou Pimentel exonerar a primeira-dama do Estado, Carolina de Oliveira Pereira Pimentel, do cargo de secretária de Trabalho e Desenvolvimento Social no governo do marido. Assim como Pimentel, Carolina é investigada na Operação Acrônimo, da Polícia Federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.