Dilma cancela viagem ao Chile para acompanhar tragédia no RS

A presidente Dilma Rousseff cancelou seus compromissos no Chile neste domingo, 27, para ir a Santa Maria, RS, acompanhar os desdobramentos do incêndio na boate Kiss. Já foram confirmados 180 mortos na tragédia, ocorrida na madrugada deste domingo. 

Tânia Monteiro e Tássia Kastner, de O Estado de S. Paulo, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 10h09

Dilma viajará de Santiago, capital do Chile, direto para Santa Maria, que fica no centro do estado do Rio Grande do Sul. A presidente teria três reuniões bilaterais em Santiago, com representantes da Argentina, Bolívia e Letônia.

A presidente convocou uma entrevista com a imprensa brasileira em Santiago esta manhã para falar do assunto. 

Dilma Rousseff entrou em contato com o governador Tarso Genro para colocar toda a estrutura do governo federal à disposição do Estado para atender às vítimas do incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, região central do Rio Grande do Sul. A ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário (PT), acompanhará o governador gaúcho em Santa Maria.

Ainda pela manhã, o governador gravou um depoimento sobre a tragédia. "Recebemos hoje pela manhã esta notícia terrível de uma tragédia gravíssima em Santa Maria que enluta o Rio Grande, enluta o Brasil e enluta a cidade. E eu estou me dirigindo pra lá, para acompanhar o trabalho da Brigada Militar, dos Bombeiros, da Polícia Civil, e do Instituto Geral de Perícias, e também para compartilhar do luto da cidade, que é um luto de todo o Rio Grande e de todo o País", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.