Dilma convocará reunião para evitar repetição de erros de Jirau

A presidente Dilma Rousseff convocará nos próximos dias uma reunião do governo para evitar que erros cometidos nas obras das usinas hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau, em Rondônia, se repitam na construção da usina de Belo Monte, no Pará.

REUTERS

19 de abril de 2011 | 12h51

A informação é do ministro da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho, que vem negociando pelo governo a solução dos problemas entre os trabalhadores e os consórcios de construtoras responsáveis pelas obras em Rondônia.

"A presidente quer que o governo seja mais presente na obra em Altamira (PA)", disse Carvalho a jornalistas nesta terça-feira após cerimônia em comemoração do dia do Exército, que teve a participação da presidente Dilma.

Segundo o ministro, o governo pedirá às empresas que façam alojamentos menores e mais espalhados neste futuro canteiro de obras. Um dos riscos verificados pelo governos nas obras de Jirau foi justamente a concentração exagerada de trabalhadores.

Os empregados de Jirau, que terá capacidade instalada de 3.450 mil megawatts (MW) de energia, se rebelaram em março. No tumulto, 70 por cento dos alojamentos foram destruídos, o que levou a construtora a enviar trabalhadores para suas cidades de origem.

A causa aparente do tumulto foi um desentendimento entre um motorista e um operário. Mas, após tumulto, os trabalhadores de Jirau e da obra vizinha, a usina de Santo Antônio (3.150MW), apresentaram uma pauta de reivindicações por melhores condições de trabalho.

Nesta semana, o consórcio responsável pela construção de Jirau informou aos sindicalistas que irá dispensar cerca de 4 mil trabalhadores nos próximos meses, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Construção e da Madeira.

Essas demissões devem refletir um novo cronograma da obra, mas ainda não há uma estimativa concreta para a data de entrega da usina. Na semana passada, o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, admitiu que as obras de Jirau estavam sendo antecipadas.

(Reportagem de Jeferson Ribeiro)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIABELOGOVERNO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.