Dilma critica 'Estado omisso' e defende 'Estado indutor' de Lula

A ministra e pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, aproveitou o lançamento da segunda edição do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) para criticar o que chamou de "Estado omisso" do modelo anterior e defender o "Estado indutor" do governo Lula.

REUTERS

29 de março de 2010 | 13h40

"É gracas a esse novo modelo de Estado que podemos dizer... planejamento, investimento e desenvolvimento com inclusão social", disse Dilma em sua apresentação nesta segunda-feira.

"Deixamos para trás décadas e décadas de paralisação... o país voltou a ter rumos."

(Reportagem de Fernando Exman e Natuza Nery; texto de Alexandre Caverni)

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMAESTADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.