Dilma diz a senadores do PP que pretende incentivar exportações

A presidente Dilma Rousseff está preocupada com o atual quadro das exportações brasileiras, prejudicadas pelo movimento cambial, e pretende tomar medidas para estimular as vendas ao exterior, afirmaram senadores do PP que participaram de um almoço com ela nesta quarta-feira.

REUTERS

15 Junho 2011 | 20h07

Dilma não disse, no entanto, quando pretende anunciar essas medidas. Segundo a senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), no almoço com a bancada do partido no Senado, a presidente manifestou sua intenção de incentivar a indústria automotiva que sofre com a importação de veículos da vizinha Argentina.

"Ela disse que vai dar ênfase às exportações e que está preocupa especialmente com o setor automotivo", afirmou a senadora à Reuters.

Na conversa com os pepistas, Dilma recebeu do senador Francisco Dornelles (RJ) seu projeto de lei com medidas para impulsionar as exportações, que foi elaborado na época da crise econômica mundial, em 2009.

"Ela comentou que vai soltar em breve um elenco de medidas para exportações e incentivo aos investimentos, mas não deu prazo", comentou.

O partido também levou à presidente suas propostas de ampliação do regime tributário do Simples e para desoneração da folha de pagamentos e dos investimentos.

Durante a conversa, segundo Ana Amélia, a presidente indicou que vetará parte da medida provisória 517, aprovada há duas semanas no Senado, e que permite ao governo receber "moedas podres" de instituições que estejam em situação de falência. "Ela disse que o governo sequer foi consultado sobre esse tema."

Desde o final de maio, a presidente tem se reunido com as bancadas aliadas do Senado e tentado se aproximar dos congressistas. Ela já almoçou com os senadores do PT, do PMDB, do PR, do PTB.

(Por Jeferson Ribeiro)

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMAPP*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.