Dilma diz que agressões verbais não irão abatê-la

A presidente Dilma Rousseff aproveitou um evento no Distrito Federal nesta sexta-feira para rebater os xingamentos recebidos durante o jogo de abertura da Copa do Mundo em São Paulo na véspera.

REUTERS

13 de junho de 2014 | 12h32

Dilma disse que em sua vida já teve que suportar agressões físicas "quase insuportáveis", referindo-se às torturas sofridas quando esteve presa durante a ditadura, e que não serão agressões verbais que a abaterão ou a farão se atemorizar.

"Quero dizer e reiterar para vocês: não serão xingamentos que vão me intimidar ou me atemorizar, não me abaterei por isso", disse a presidente em discurso na cerimônia de inauguração de trecho do BRT Expresso DF Eixo Sul.

Durante o jogo Brasil X Croácia torcedores presentes na Arena Corinthians gritaram "Ei, Dilma, vai tomar no c...".

A presidente enfrenta baixa popularidade e tem caído nas pesquisas de intenção de voto para a eleição de outubro.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
POLITICADILMARESPOSTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.