Dilma diz que 'Mais Médicos' consolida 'pacto pela vida'

Presidente disse que programa não tem como principal objetivo trazer médicos do exterior, mas levar mais saúde ao interior do País

Lais Alegretti e Rafael Moraes Moura, da Agência Estado,

08 de julho de 2013 | 17h25

 A presidente Dilma Rousseff assinou nesta segunda-feira a medida provisória (MP) que institui o programa Mais Médicos, em solenidade no Palácio do Planalto, em Brasília. A medida será apreciada pelo Congresso. "O pacto que estamos aqui hoje consolidando talvez seja o mais essencial deles, um pacto pela vida, pela saúde de todos os brasileiros, em especial dos mais pobres", disse.

"O programa Mais Médicos não tem como principal objetivo trazer médico do exterior, mas sim levar mais saúde para o interior do Brasil." De acordo com Dilma, as Regiões Norte e Nordeste são as que mais necessitam de médicos. "Em todas as pesquisas de opinião, a saúde tem sido apontada como maior problema", afirmou, agradecendo a todos os que foram ou não foram às ruas pedir serviços públicos de maior qualidade.

"Vamos enfrentar de forma firme três grandes desafios. Vamos construir postos de saúde bem-equipados, garantir que rede de saúde funcione direito, com menos filas", afirmou. A meta do governo é criar 11.447 vagas de graduação em medicina até 2017 - o Brasil possui atualmente 18.212, segundo o Ministério da Educação (MEC).

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmaplano mais médicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.