Dilma diz que País deveria estar crescendo mais rapidamente

Em entrevista a jornalistas estrangeiros, Dilma disse, porém, que o real teve seis meses de 'estabilidade' e que a inflação está caindo

Reuters

03 Junho 2014 | 23h30

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira que não podia explicar por que o Brasil não estava crescendo mais rapidamente, depois que a economia perdeu fôlego e avançou pouco no primeiro trimestre deste ano.

Em entrevista a um pequeno grupo de jornalistas estrangeiros, Dilma acrescentou, porém, que o real teve seis meses de "total estabilidade" e que a inflação estava caindo.

Nesta terça-feira, o dólar fechou em alta ante o real pela segunda sessão consecutiva, cotado a R$ 2,279, mais uma vez conduzido pelas especulações sobre o futuro do programa de leilões de contratos de swaps cambiais do Banco Central e também pelo ambiente externo.

Dilma disse que não tem a intenção de mudar a meta de inflação, de 4,5%, com margem de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo, mesmo que a inflação tenha se mantido persistentemente elevada ao longo dos últimos anos, entre 5,5% e 6,5%.

(Brian Winter, da Reuters, com informações da Agência Estado)

Mais conteúdo sobre:
DilmaPIBinflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.