Dilma diz que Pronatec é fiscalizado, mas controle tem que ser aprimorado

A presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, afirmou neste domingo que o Pronatec é fiscalizado, mas disse que o controle do programa de acesso ao ensino técnico e emprego tem que ser aprimorado.

REUTERS

19 de outubro de 2014 | 20h06

Os comentários de Dilma foram feitos após reportagem da Folha de S. Paulo afirmar que uma auditoria indicou não ser possível precisar quantos alunos assistem às aulas e como foram gastos os recursos repassados pelo governo federal às escolas.

O Pronatec tem sido uma das principais bandeiras da campanha de reeleição da petista, que disputa o segundo turno contra o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves.

Segundo a Folha, um relatório a partir de uma auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) teria revelado descontrole dos gastos públicos, porque alunos desistentes continuam sendo contabilizados e as instituições podem ser remuneradas por esse grupo que não frequenta mais as aulas.

"Não é verídica (a reportagem sobre o descontrole no Pronatec). É um programa enorme, atende mais de 8 milhões de pessoas, 896 cursos e é uma parceria importante entre o governo e suas escolas técnicas e o sistema 'S' para assegurar cursos técnicos e de qualificação profissional. São os melhores cursos técnicos no país", disse Dilma a jornalistas.

"Os cursos são fiscalizados, nós temos que aprimorar a fiscalização e não há nenhuma irregularidade no Pronatec", disse a presidente.

(Reportagem de Vinício Cherobino; Edição de Cesar Bianconi)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014DILMAPRONATEC*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.