Dilma evoca combate ao medo; Lula ataca tucanos em comício em SP

Sob forte chuva, a candidata à Presidência pelo PT, Dilma Rousseff, participou do último comício na capital ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e, a seis dias do primeiro turno das eleições, voltou a evocar o combate ao medo.

REUTERS

27 de setembro de 2010 | 23h14

Coube a Lula criticar a gestão dos tucanos, que governam São Paulo há 16 anos, e puxar votos para o petista Aloizio Mercadante no Estado.

"Sabemos do medo que tentaram implantar lá em 2002. Mais uma vez vamos vencer este medo. Agora temos nas mãos não só a esperança, mas a prova do amor do presidente Lula e do nosso governo pelo Brasil. Esse amor que vai derrotar o medo e o ódio que tentam fazer característica principal desta eleição", disse Dilma, no comício realizado no Sambódromo.

Ela cobrou serenidade, determinação e amor nesta reta final da eleição e elogiou a chuva, afirmando que ela é boa porque "limpa a gente".

Defendendo a eleição de Mercadante, Lula afirmou que os tucanos governam o Estado há tanto tempo e, até agora, a universidade pública paulista atende apenas a 96 mil alunos, enquanto isso o ProUni beneficia mais de 130 mil no Estado.

"Não basta eleger Dilma, a gente precisa parar com essa história de tucano governar São Paulo", discursou Lula.

O candidato tucano, Geraldo Alckmin, está em primeiro nas pesquisas e tem chance de vitória no primeiro turno.

Com o evento em São Paulo, a candidata do PT buscou fortalecer a preferência junto aos eleitores no Estado. Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, Dilma tem 41 por cento das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB) aparece com 36 por cento e Marina Silva (PV), com 13 por cento, segundo pesquisa Ibope divulgada na sexta-feira.

O placar é praticamente o inverso daquele apontado pelo instituto no final de julho, quando Serra estava na dianteira em São Paulo com 44 por cento e Dilma tinha 33 por cento. Marina aparecia com 9 por cento.

Em termos nacionais, Dilma tem 50 por cento de intenção de voto, Serra aparece com 28 por cento e Marina Silva tem 12 por cento --números semelhantes aos apurados pelo Datafolha. Mesmo com redução da vantagem sobre os rivais, Dilma mantém a possibilidade de vitória no primeiro turno.

Na mesma noite do comício petista, Serra não estava na cidade. Encontrava lideranças locais em Barretos, no interior do Estado.

DOCUMENTO

O presidente Lula também foi enfático sobre a exigência de o eleitor levar o título e um documento com foto no momento do voto. "Não se esqueça pelo amor de Deus de levar um documento com fotografia no dia da eleição", recomendou.

A exigência de dois documentos foi aprovada no ano passado pelo Congresso e sancionada pelo presidente Lula. Na sexta-feira, o PT entrou com uma ação direta de inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a lei.

(Reportagem de Fernando Cassaro)

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESDILMACOMICIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.