Dilma lamenta morte do ex-ministro Adib Jatene

A presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do médico Adib Jatene, aos 85 anos. Em nota à imprensa, a presidente da República lembra que o ex-ministro da Saúde foi um dos responsáveis pela criação da CPMF, o que permitiu ao governo destinar mais recursos para a saúde pública.

FERNANDO NAKAGAWA, Estadão Conteúdo

15 Novembro 2014 | 11h05

"O Brasil perdeu nesta sexta-feira um dos seus filhos queridos. A morte do médico Adib Jatene deixa nossa nação triste. Ele foi um dos mais importantes cardiologistas do Brasil e um dos artífices da criação da CPMF, que permitiu destinar mais recursos para a saúde publica. Expresso meus sentimentos à viúva, dona Aurice, e aos filhos do casal: Ieda, Marcelo, Fábio e Iara", diz a nota assinada pela presidente em Brisbane, onde está para a reunião de cúpula das 20 maiores economias do mundo, o G-20.

Adib Janete foi pioneiro da cirurgia cardíaca no País e faleceu no Hospital do Coração em São Paulo na sexta-feira após o segundo enfarte em dois meses.

Mais conteúdo sobre:
Jatene Dilma nota

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.