Dilma mostra apoio ao movimento contra estupro

A presidente Dilma Rousseff (PT) demonstrou solidariedade à jornalista Nana Queiroz, uma das organizadoras do movimento "Eu não mereço ser estuprada", que se popularizou nas redes sociais nos últimos dias. A organizadora do protesto, além de mensagens de apoio, foi hostilizada e ameaçada por pessoas na internet.

BERNARDO CARAM, Agência Estado

31 Março 2014 | 15h41

"Por ter se manifestado nas redes contra a cultura de violência contra a mulher, a jornalista foi ameaçada de estupro (...) Organizadora do protesto #NãoMereçoSerEstuprada, Nana Queiroz merece toda a minha solidariedade e #respeito", afirmou a presidente por meio de sua conta no Twitter.

O movimento surgiu após a divulgação de uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que, entre os dados, constatou que 65% dos brasileiros acham que mulheres que usam roupas curtas merecem ser atacadas. "Nenhuma mulher merece ser vítima de violência, seja física ou sob a forma de ameaça", afirmou Dilma. "O governo e a lei estão do lado de Nana Queiroz e das mulheres ameaçadas ou vítimas de violência", finalizou.

Mais conteúdo sobre:
IpeapesquisaestuproDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.