Dilma pede 'rigorosa apuração' de vazamento

Até ontem, o vazamento de óleo da Chevron no campo do Frade (a 150 km da costa do Espírito Santo) não havia sido contido. Em nota divulgada à noite, a presidente Dilma Rousseff determinou atenção redobrada e rigorosa apuração das causas do acidente. Ela afirmou que o governo - por meio do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Petróleo e da Marinha - está acompanhando o caso. Registrado há quatro dias, o vazamento, diz a Chevron, pode ter sido causado por uma falha geológica. Anteontem, a empresa afirmou que "o volume total na superfície é estimado em menos de 10 metros cúbicos - cerca de 60 barris de petróleo". A Chevron opera no campo desde 2009.

O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2011 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.