Dilma prega rigor de empresas estrangeiras na obediência às leis

Mesmo sem citações diretas à Chevron pelo vazamento no Campo do Frade, os discursos da presidente Dilma Rousseff e do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, durante cerimônia de posse da nova diretora-geral da ANP, Magda Chambriard, defenderam rigor no cumprimento das leis do setor por parte das empresas estrangeiras.

RIO, O Estado de S.Paulo

22 Março 2012 | 03h08

Segundo Dilma, "as empresas que aqui vierem se instalar", bem como as que já estão aqui, devem saber que protocolos de segurança existem para serem cumpridos. "Todas as empresas, sem exceção", disse, em cerimônia na Escola de Guerra Naval, no Rio. "A diretora Magda assume no momento em que os requisitos de segurança e garantia de uma exploração com as melhores práticas ambientais são exigências defendidas pela ANP."

Magda foi indicada ao cargo pessoalmente por Dilma. A presidente se aproximou da diretora da ANP durante as discussões sobre o pré-sal enquanto era ministra da Casa Civil. É a primeira vez que um presidente da República comparece à posse de um diretor-geral da agência. A fiscalização também foi ponto-chave no discurso de Magda. / S.V. e M.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.