Dilma reunirá empresários na 3a e apresentará pacote--fontes

A presidente Dilma Rousseff reúne na próxima terça-feira os maiores empresários do país para apresentar detalhes do pacote que o governo tem debatido intensamente nas últimas semanas e que tem como objetivo estimular a economia, disseram à Reuters fontes do governo.

JEFERSON RIBEIRO, Reuters

07 de agosto de 2012 | 19h37

Nessa reunião, Dilma tentará incentivar o empresariado apresentando uma carteira de projetos de infraestrutura que serão concedidas ao setor privado.

Segundo uma das fontes do governo, que falou sob condição de anonimato, também serão detalhadas mudanças legais e regulatórias para destravar o investimento em portos, aeroportos e ferrovias.

Nos últimas semanas, Dilma tem se reunido com ministros das áreas ligadas à infraestrutura e com a equipe econômica para discutir modelos de concessão e encontrar espaço fiscal para investimentos públicos e também para discutir mudanças na área de tributação.

"A partir dessa reunião com os empresários, o governo começará a divulgar as medidas que tomará. Os anúncios serão feitos em parte porque são mudanças complexas", disse uma das fontes do governo.

O governo não apresentará aos empresários um modelo único de concessões ao setor privado. Haverá renovações de contratos em alguns casos, novos leilões e licitações em outros e até Parcerias Público-Privadas (PPPs) serão utilizadas para alavancar esses investimentos em infraestrutura.

Um exemplo de renovação de concessões que pode ser anunciado nas próximas semanas é o dos contratos de energia elétrica que vencem a partir de 2015. O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, já disse que eles serão renovados, mas que o governo quer que em troca as empresas apresentem reduções nas tarifas praticadas atualmente.

Dilma vai apresentar as medidas para os empresários para que eles possam opinar sobre as propostas, que poderão sofrer ajustes antes de serem divulgadas.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMAPACOTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.