Dilma vai à TV e promete ''ProUni da escola técnica''

Em seu 1º pronunciamento, presidente fala em inclusão digital e melhora no Enem e Sisu

, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2011 | 00h00

BRASÍLIA

Em seu primeiro pronunciamento em cadeia de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff anunciou que o governo lançará ainda neste trimestre o Programa Nacional de Acesso à Escola Técnica (Pronatec), que levará ao ensino técnico a "bem sucedida experiência do ProUni".

Ela também afirmou que o governo está acelerando a implantação do Plano Nacional de Banda Larga para que todas as escolas públicas tenham acesso à internet e a população pobre possa ter internet com um preço compatível com sua renda.

Dilma também disse que o governo federal está tomando medidas para corrigir e evitar falhas que têm ocorrido no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que utiliza as notas do Enem para preencher vagas em universidades federais.

A presidente aproveitou o retorno às aulas em todo o País para reafirmar o compromisso com a melhoria da educação. "Um desafio que só será vencido se governo e sociedade se unirem de fato nessa luta, com toda força, coragem e convicção", disse. "Nenhuma ferramenta é mais decisiva que ela (educação) para superarmos a pobreza e a miséria", continuou, defendendo mais investimentos na formação e remuneração dos professores, ampliação do número de creches e pré-escolas e combate à evasão escolar. Dilma também disse que é hora de fazer mais escolas técnicas, ampliar os cursos de ensino profissionalizante, melhorar o ensino médio e as universidades.

Miséria. Ela concluiu reafirmando que a "luta mais obstinada" do seu governo será o combate à miséria. "Isso significa fortalecer a economia, ampliar o emprego e aperfeiçoar as políticas sociais. Isso significa em especial melhorar a qualidade do ensino, pois ninguém sai da pobreza se não tiver acesso à educação gratuita, contínua e de qualidade. Nenhum país igualmente poderá se desenvolver sem educar bem o seu jovem e capacitá-lo plenamente para o emprego e para as novas necessidades criadas pela sociedade do conhecimento."

Ao final, citou o novo slogan: "País rico é país sem pobreza". "Esse será o lema de arrancada do meu governo. Ele está aí para alertar permanentemente a nós do governo e a todos os setores da sociedade que só realizaremos o destino de grandeza do Brasil quando acabarmos com a miséria."

A presidente admitiu que essa é uma tarefa para toda uma geração e destacou que é preciso realizar a parte importante que falta. "Para que a única fome desse país seja a fome de saber, de grandeza, de solidariedade e igualdade. E para que todos os brasileiros possam fazer da educação a grande ferramenta de construção do seu sonho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.