Dilma vota em Porto Alegre após reconhecer 'momentos lamentáveis' na campanha

A presidente Dilma Rousseff (PT) votou logo cedo neste domingo na capital gaúcha e convocou a população a ir às urnas para decidir quem vai governar o país nos próximos quatro anos, depois de reconhecer "momentos lamentáveis" na campanha.

REUTERS

26 de outubro de 2014 | 09h52

Pouco antes, após café da manhã com dirigentes políticos, a candidata à reeleição falou sobre a campanha eleitoral em entrevista à imprensa.

"Acho que teve momentos lamentáveis, uso de formas de tratamento indevidas, e inclusive acredito que isso foi rejeitado pela população", destacou a presidente, ressaltando, no entanto, que discorda das opiniões de que a eleição "foi inteiramente" uma campanha que "prevaleceu o baixo nível".

Dilma, que torce para que o histórico de mais abstenções nas regiões onde seu partido, o PT, é mais bem votado não seja um fator determinante no resultado, também pediu aos eleitores que compareçam às urnas.

"Agora é a hora da votação, e faço mais uma vez o mesmo apelo que fiz ontem, para que as pessoas compareçam para votar, para que exerçam o direito de voto", disse ela.

Por volta das 8h43 e acompanhada do candidato a reeleição ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), Dilma compareceu à sala de votação e tomou chimarrão oferecido por um dos mesários.

Sorridente e usando blusa vermelha, a presidente levou poucos segundos para votar, e depois posou para fotos mostrando o comprovante de votação. Dilma segue para Brasília, de onde acompanhará a apuração da eleição.

As últimas pesquisas Datafolha e Ibope realizadas antes do segundo turno da eleição presidencial não apontaram um favoristimo claro na disputa entre Dilma e Aécio Neves (PSDB), embora a presidente apareça com uma vantagem de 4 e 6 pontos percentuais, respectivamente.

(Por Camila Moreira)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014DILMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.