Direito da USP sugere que MP investigue reitor

A Faculdade de Direito do Largo São Francisco enviou ofício ao Ministério Público sugerindo abertura de investigação sobre supostos atos de improbidade administrativa cometidos pelo reitor da USP, João Grandino Rodas. O documento cita a transferência de parte do acervo das bibliotecas do prédio histórico para um edifício anexo à faculdade, "em precárias condições" e o emprego de verbas públicas para impressão e distribuição de boletins da assessoria de imprensa da USP em que Rodas critica a atual gestão da São Francisco.

CARLOS LORDELO / ESTADÃO.EDU, O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2011 | 03h02

O ofício foi entregue pelo diretor da faculdade, Antonio Magalhães Gomes Filho, ao procurador-geral, Fernando Grella Vieira. A comunicação ao MP foi decidida por unanimidade pela Congregação da São Francisco em reunião, em 29 de setembro. "Encaminhamos os fatos e pedimos ao procurador que faça a apuração de acordo com as possibilidades do MP", disse Gomes Filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.