Direito quer cotas raciais

A Faculdade de Direito da USP aprovou em junho recomendação para que a universidade adote cotas no seu vestibular. Não há data para que a "aclamação" seja debatida no Conselho Universitário, instância máxima da instituição. O tema tem sido discutido em reuniões temáticas do conselho. A próxima está marcada para este mês. Mas os encontros não têm poder deliberativo. Mesmo após o STF decidir pela legalidade das cotas, USP, Unicamp e Unesp descartaram adotar esse tipo de ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.