Direitos Humanos lamenta absolvição no caso Dorothy

A Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República divulgou hoje nota na qual expressa seu desacordo com a decisão do Tribunal do Júri de Belém do Pará, que ontem absolveu o fazendeiro Vitalmiro Bastos Moura, o Bida, acusado de ser mandante do assassinato, em 2005, da missionária norte-americana Dorothy Stang. Os jurados entenderam que não havia provas suficientes para condenar o fazendeiro."É estarrecedor constatar que tristes episódios de celebração da impunidade seguem acontecendo entre nós", diz a nota assinada pelo ministro Paulo Vannuchi. "A Secretaria Especial dos Direitos Humanos reafirma, no entanto, a sua confiança na capacidade do Poder Judiciário comprovar seu alinhamento com os preceitos da Carta Constitucional", conclui o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.