Diretor financeiro teria discordado de gerenciamento, segundo imprensa alemã.

Diretor financeiro teria discordado de gerenciamento, segundo imprensa alemã.

BBC Brasil, BBC

13 de dezembro de 2007 | 19h05

Na segunda-feira, o Zoológico de Berlim decidiu não estender o contrato de Uhlich, que era diretor financeiro do zoológico, para além de 2007. Jornais alemães informaram que ele já se retirou da instituição.Uhlich disse a jornalistas que chegou a um acordo "amigável" para deixar o cargo mais cedo. Mas, segundo informações da imprensa alemã, ele saiu devido a uma divergência com os colegas sobre como o zoológico deveria ser administrado.Uhlich era considerado o responsável pelo aumento das verbas do zoológico durante sua administração, licenciando o uso da imagem do urso Knut em camisetas, brinquedos, cartazes e até mesmo doces.A saída de Uhlich ocorreu semanas depois de Knut ter comemorado seu primeiro aniversário, com muita cobertura da imprensa.A imprensa alemã afirma que Bernhard Blaszkiewitz, um dos diretores do Zoológico de Berlim junto com Uhlich, estava cada vez mais insatisfeito com o efeito da popularidade de Knut para o zoológico.Blaszkiewitz teria dito no início de 2007 que o zoológico estava se transformando em um parque de diversões.Uhlich disse à agência de notícias alemã Deutsche Presse-Agentur que não se arrepende do trabalho que fez para o zoológico."O zoológico agora é lucrativo e ganhou uma imagem positiva na Alemanha e no resto do mundo", disse.O número de visitantes no Zoológico de Berlim registrou um grande aumento desde o nascimento do urso, que atualmente tem seu próprio blog e já foi capa da revista Vanity Fair.Mais de 1 milhão de pessoas já visitaram o zoológico para ver Knut brincar com seu tratador, Thomas Doerflein, em duas aparições diárias.As aparições com o tratador tiveram que ser canceladas quando Knut ficou muito grande. Segundo os veterinários, o urso já pesa mais de 100 quilos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.