Diretores da USP defendem permanência da reitora

Um manifesto assinado por 38 diretores de unidades da USP (Universidade de São Paulo), divulgado hoje à noite, defende a permanência da reitora, Suely Villela, no cargo. A exceção foram os diretores da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da Faculdade de Fiolsofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e da Faculdade de Educação (FE), as escolas mais diretamente envolvidas na atual greve da instituição.

FABIO M. MICHEL, Agencia Estado

15 de junho de 2009 | 22h58

Entre outras afirmações, os 38 diretores que assinaram o documento dizem que se manifestam "em defesa da Universidade, reiterando total apoio à reitora no desempenho de seu papel institucional".

O abaixoassinado é finalizado conclamando "toda a comunidade universitária ao entendimento em torno do respeito ao direito de greve e da livre expressão de ideias, refutando qualquer tipo de violência, seja por grevistas ou por policiais."

Pelo atual estatuto da USP, os diretores de unidades são escolhidos pela reitoria a partir de uma lista tríplice, elaborada com o voto de membros da Congregação e dos Conselhos de Departamento de cada escola, faculdade ou instituto.

Mais conteúdo sobre:
USPgrevediretores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.