Discovery começa o reabastecimento da estação orbital

Os sete astronautas da Discovery cumprimentaram nesta quinta-feira os dois ocupantes da Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês), após o acoplamento das naves, quando sobrevoavam o Pacífico sul a mais de 27 mil km/h.O comandante Steve Lindsey conduziu a nave em uma cuidadosa aproximação a três centímetros por segundo até a conexão com a estação, que órbita a 395 quilômetros da Terra.Após o acoplamento, que aconteceu quando orbitavam sobre um ponto situado a cerca de 400 quilômetros do litoral do Chile, com um acendimento dos foguetes de direção, o Discovery empurrou a ISS para corrigir sua órbita.Às 13h30 (horário de Brasília) as comportas do mecanismo de conexão foram abertas, e o comandante da estação orbital, o russo Pavel Vinogradov, e seu colega, o americano Jeffrey Williams, que estão há quase quatro meses na ISS, cumprimentaram os sete visitantes.Entre eles, está o europeu Thomas Reiter, que permanecerá seis meses na ISS.Esta será a primeira vez que a Estação Espacial Internacional contará com sua equipe completa de três astronautas, desde que o grupo da Expedição 6 partiu dali, em maio de 2003. Trata-se da primeira visita de uma nave tripulada que Vinogradov e Williams recebem em quase três meses.Inspeção Uma hora antes do acoplamento, o comandante Lindsey girou a nave, expondo a parte inferior da mesma à vista dos ocupantes da estação, que utilizaram câmeras de alta resolução para inspecionar os painéis isolantes que cobrem o "Discovery".Essa delicada operação aconteceu quando a nave sobrevoava a Espanha, segundo disse à Efe uma porta-voz da Nasa.O engenheiro de vôo Williams disse que as imagens estão prontas para serem enviadas ao Controle de Missão, no Centro Espacial Johnson, no Texas. O propósito é determinar se o Discovery sofreu danos durante o lançamento, e se está em bom estado para seu retorno à Terra.A astronauta Lisa Nowak foi a primeira a passar pelo tubo do Discovery para a ISS, seguida por Lindsey, Reiter, Stephanie Wilson, Michael Fossum, Piers Sellers e Mark Kelly.Durante a estadia em órbita, até 14 de julho, Sellers e Fossum farão pelo menos duas jornadas com tarefas que incluem o reparo de um sistema de transporte da EEII, necessário para que se complete a construção do posto espacial.Retorno à TerraNo Centro Espacial Johnson, o subdiretor do programa da nave, John Shannon, disse que as inspeções realizadas até agora não dão motivo para preocupação sobre a condição da nave e a segurança de seus tripulantes para o retorno à Terra.Até 2010, a NASA tem planos para outras 16 missões de nave com o objetivo de completar a construção da ISS, um projeto que terá um custo superior a US$ 100 bilhões.As naves estiveram em serviço por 25 anos. A "Challenger" explodiu poucos segundos após seu lançamento, em 1986, e a Colúmbia se desintegrou quando voltava à Terra, em 2003. Sete astronautas morreram em cada um dos acidentes.O Discovery, que realizou sua primeira missão espacial em agosto de 1984 e se encontra agora em seu 32º vôo, já teve, em duas ocasiões, a responsabilidade do retorno dos EUA às missões espaciais após ambas as tragédias.

Agencia Estado,

06 de julho de 2006 | 22h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.