Discovery decola, apesar de temores

O ônibus espacial Discovery partiu de Cabo Canaveral nesta tarde, rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), a despeito dos temores e ressalvas que precederam ao lançamento - semanas atrás, dois importantes engenheiros da Nasa haviam pedido que o vôo fosse adiado por questões de segurança e, nesta segunda-feira, inspetores descobriram falhas no revestimento de isolamento térmico do tanque externo de combustível da nave. Foi o desprendimento de um pedaço de espuma isolante que precipitou o desastre com o ônibus espacial Columbia, em 2003.Entre os objetivos da missão atual do Discovery está, exatamente, a verificação das novas medidas de segurança adotadas para evitar novas tragédias. Depois de atracar à ISS, o Discovery passará por uma inspeção detalhada e, se forem encontrados danos graves que ponham em risco o retorno dos astronautas e que não possam ser reparados, a tripulação ficará na estação à espera de resgate e o Discovery será trazido de volta por controle remoto.O administrador da Nasa, Michael Griffin, está sob pressão para concluir logo a construção da ISS - que depende de vôos freqüentes de ônibus espaciais, para receber novos módulos - e para aposentar a frota de naves até 2010. O conceito da nova geração de naves tripuladas americanas, batizada de Ares (o nome grego do deus Marte, numa alusão às novas metas da agência espacial, que culminam com o desembarque de seres humanos no planeta vermelho) foi apresentado na semana passada.Griffin já reconheceu que um eventual fracasso da missão atual do Discovery significará o encerramento imediato do programa de ônibus espaciais e, em conseqüência, o fim dos trabalhos de construção da ISS.Além de testar as novas medidas de segurança, nesta missão o Discovery leva à ISS o astronauta alemão Thomas Reiter, que ficará a bordo por seis meses. Esta será a primeira vez em que a tripulação permanente da estação volta a ser de três astronautas desde a tragédia do Columbia. O lançamento do Discovery em sua missão atual - oficialmente chamada STS-121 - estava previsto inicialmente para o final de semana, mas foi adiado seguidas vezes por conta das condições meteorológicas adversas. O desprendimento de espuma descoberto na segunda-feira quase levou a uma nova suspensão do vôo, mas a Nasa decidiu seguir adiante nesta terça-feira.

Agencia Estado,

04 de julho de 2006 | 15h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.