'Discussão histérica e perigosa'

"Parece que fui até Brasília só porque sou funcionário da Globo. Não podemos ser corporativistas... Fui porque acredito em alguma coisa. Não sou contra a classificação indicativa. Impor o horário que tem de ir uma obra é que já é forte demais. Interfere na criação dramatúrgica. Do jeito que estão querendo a classificação, não veríamos cenas maravilhosas de Lília Cabral com o neto (Páginas da Vida). Por isso essa hipocrisia continua. No cinema, se você estiver com seu filho, ele entra para ver qualquer filme. E o perigo da internet? E a TV fechada? É uma discussão histérica e perigosa transferindo para TV os males do mundo. Estou falando com muita propriedade de algo em que trabalho há 44 anos. Sei muito bem o que é a interferência na criação dramatúrgica, maquiada de várias palavrinhas elegantes."

O Estado de S.Paulo

19 Julho 2007 | 05h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.