Disneylândia chega às ruas brasileiras

Nestlé usa Mickey para ir à baixa renda

Marianna Aragão, SÃO PAULO, O Estadao de S.Paulo

31 Outubro 2009 | 00h00

A Nestlé vai trazer para ruas de seis cidades brasileiras, a partir de novembro, uma megaprodução só encenada nos parques da Disney, nos Estados Unidos. Os desfiles temáticos, com apresentação de personagens de desenhos animados de Walt Disney, dançarinos e carros alegóricos, fazem parte de uma ação de marketing voltada, principalmente, ao público que tem impactado positivamente os resultados da multinacional de alimentos: os consumidores das classes C, D e E. "Vamos trazer a Disney para os brasileiros que não tiveram oportunidade de viajar e conhecer o espetáculo", diz o presidente da Nestlé no Brasil, Ivan Zurita.

Segundo o executivo, a expectativa é reunir até 1 milhão de pessoas em cada cidade. No Rio, que receberá o primeiro desfile, na praia de Copacabana, são esperados 3 milhões de espectadores. Em dezembro, é a vez de São Paulo. Vila Velha (ES) - onde fica a fábrica da Garoto -, Salvador, Porto Alegre e Belo Horizonte entrarão no roteiro em 2010. "O Brasil sempre colaborou para a operação mundial. A iniciativa mostra o reconhecimento da companhia pelo País", afirma Zurita.

A filial brasileira já é a segunda maior operação da Nestlé mundial em volume. Com os resultados de 2009, subirá um degrau e chegará a essa posição também em faturamento. Os consumidores da chamada base da pirâmide social têm importante participação nesse desempenho, acredita o executivo. "Eles vêm fazendo a diferença no mercado."

A companhia, única patrocinadora, não revela os valores envolvidos no projeto, que começou a ser produzido em fevereiro. Além da Disney, a parceria para a produção inclui a Maior, empresa de entretenimento do grupo ABC. A agência trabalha na adaptação do espetáculo ao País. Os números são grandiosos: serão 450 dançarinos e personagens, selecionados no Brasil, além de 2 mil pessoas trabalhando na estrutura técnica. Os sete carros alegóricos do desfile foram desenhados nos EUA, mas estão sendo montados localmente. "É uma operação cara", garante o presidente da Maior, Paulo Zottolo.

Segundo o vice-presidente sênior da Walt Disney no Brasil, Marcos Rosset, o evento foi desenhado especialmente para o País. "Será diferente e até maior que os desfiles apresentados nos parques nos EUA", diz. A produção foi montada fora de seu país de origem apenas uma vez, no México, há dez anos, onde reuniu 8 milhões de pessoas. Em São Paulo, a apresentação ocorrerá no dia 20 de dezembro, na avenida Santos Dumont, Zona Norte da cidade.

No Rio, o desfile da Disney fará parte de um projeto maior da Nestlé na cidade, que inclui a realização de eventos esportivos, como campeonatos de vela e skate. As ações de marketing da Nestlé mostram que a empresa não deixou de investir no País, mesmo no período de crise global, diz Zurita. "Continuamos admitindo gente e investindo em nossas fábricas." Segundo ele, as vendas da companhia devem crescer este ano, em relação a 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.