Distribuidora promete reduzir espera por combustível

A Petrobras Distribuidora informou hoje (9) que os quatro terminais da empresa no Estado de São Paulo operam com capacidade máxima para reduzir o tempo de espera dos postos pelo combustível. A expectativa é de que não haja posto sem combustível no fim de semana.

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agência Estado

09 Março 2012 | 11h17

De acordo com a empresa, durante o dia todo de ontem foram carregados 1.253 caminhões, contra apenas 603 do dia anterior - quando os transportadores ainda estavam parados em protesto contra as restrições ao tráfego de caminhões na Marginal do Tietê, em São Paulo. Em dias normais, o número de caminhões carregados nos terminais Teplan, em Paulínia; Baeri, em Barueri; Baguar, em Guarulhos, e Tespa, em São Paulo, é de 1.242, segundo a empresa.

Donos de postos reclamam que as distribuidoras das principais bandeiras estão dando preferência para estabelecimentos em redes de hipermercados. O empresário Miguel Pedroso, de Vargem Grande Paulista, que desde segunda-feira está com dois dos três postos parados por falta de combustível, reclamou. "A entrega havia sido remarcada para as 11 horas de ontem, mas até agora (manhã de hoje) não aconteceu". Ainda que o combustível chegue, ele disse que vai fechar o mês com prejuízo. "A margem de lucro é baixa e estou parado há mais de três dias".

Os trabalhos de carregamento e distribuição de combustíveis nos terminais da distribuidora Rayzen Combustíveis, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, e em Barueri, na região metropolitana, vão ser feitos 24 horas por dia, inclusive no domingo, até que o abastecimento seja normalizado na cidade, segundo a empresa.

Levantamento da Rayzen, que presta serviço para a Shell e para a Esso, mostra que nos terminas de distribuição do Ipiranga, na Avenida Presidente Wilson, um dos principais do Estado, e em Barueri, o número de caminhões-tanque transportando combustível está acima da média, ultrapassando 500 viagens entre a 0h e 10 horas de hoje. Durante o dia de ontem, 11,8 milhões de litros de combustíveis foram entregues, segundo a Rayzen. O volume médio de carregamento diário da empresa é de 11,5 milhões de litros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.