Dívida interna sobe a R$ 1,733 tri em outubro-Tesouro

A dívida pública mobiliária federal interna cresceu 0,51 por cento em outubro frente a setembro, atingindo 1,733 trilhão de reais, informou o Tesouro Nacional nesta segunda-feira.

REUTERS

21 de novembro de 2011 | 11h10

No mês passado, o governo fez um resgate líquido no valor de 6,66 bilhões de reais e a apropriação de juros foi de 15,37 bilhões de reais.

Em relação a dívida interna, houve redução da participação dos papéis prefixados para 621,05 bilhões de reais, para 35,84 por cento do total da dívida. Os títulos atrelados à inflação cresceram para 524,24 bilhões de reais, atingindo 30,26 por cento do total.

Os papéis remunerados sobretudo pela taxa Selic atingiram, em outubro, 578,19 bilhões de reais, ou 33,37 por cento do volume da dívida. A dívida interna remunerada por câmbio representou 9,14 bilhões de reais, ou 0,53 por cento do total.

Em outubro, as maiores emissões feitas pelo Tesouro na dívida interna foram com títulos com remuneração prefixada, totalizando 17,45 bilhões de reais, ou 64,22 por cento do total.

No programa Tesouro Direto, as emissões realizadas no mês passado chegaram a 230,2 milhões de reais e a maior demanda foi por papéis atrelados à inflação, com 63,12 por cento do total vendido.

O estoque da dívida pública federal, incluindo também a dívida externa, caiu 0,12 por cento no mês, para 1,806 trilhão de reais. O total da dívida pública federal externa caiu 12,83 por cento em relação a setembro, atingindo 73,94 bilhões de reais.

(Reportagem de Tiago Pariz)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRODIVIDAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.