Divisão impede decisão da UE sobre poluição de carros

A Comissão Européia, órgão executivo da União Européia (UE) adiou uma decisão polêmica sobre propostas para forçar a indústria automobilística a cortar as emissões de dióxido de carbono, principal gás responsável pelo aquecimento global, informam autoridades. O executivo da UE deveria decidir, até quarta-feira, 24, sobre propostas do comissário de meio Ambiente, Stavros Dimas, para leis que fixariam metas obrigatórias para a redução de emissões na indústria de automóveis. As idéias de Dimas, no entanto, viram-se sob oposição dos empresários e do comissário de Indústria da UE, Guenter Verheugen, o que causou um racha na comissão. A porta-voz de Dimas, Barbara Helfferich, confirmou o adiamento, mas disse que um acordo deverá ser possível já na próxima semana.Dimas disse que um sistema de metas voluntárias adotado pela indústria fracassou. Sob o sistema voluntário, grandes fábricas européias, japonesas e coreanas haviam concordado em cortar, até 2008 ou 2009, as emissões de CO2 em 25% sobre os níveis registrados em 1995, com novos cortes previstos até 2012.Até o momento, a UE diz que as emissões caíram 12,4%, e Dimas afirma que não há como os fabricantes atingirem a meta, sem que haja novas restrições. A comissão já havia advertido a indústria de que haveria medidas compulsórias se o acordo voluntário não fosse cumprido.

Agencia Estado,

22 de janeiro de 2007 | 16h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.