Doação de órgãos bate recorde; em 3 meses foram 485 doadores

O Brasil registrou no primeiro trimestre de 2010 um novo recorde de doação de órgãos e atingiu o índice de 10,2 doadores por milhão de habitantes (ppm), revela relatório que será divulgado hoje pela Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO).

Karina Toledo, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2010 | 00h00

Em números absolutos, foram 485 doadores com órgãos transplantados entre janeiro e março de 2010, contra 378 (8 ppm) no mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2009, foram 1.658 doadores efetivos (8,7 ppm). A meta da ABTO é terminar 2010 com 1.940 (10 ppm).

Segundo a entidade, o aumento de doadores em São Paulo é uma das razões para o crescimento das estatísticas brasileiras. Entre janeiro e março de 2010, o Estado registrou taxa de 22,6 ppm, contra 15,4 no mesmo período do ano passado.

A versão 2010 do Registro Brasileiro de Transplantes (RBT) traz também, pela primeira vez, estatísticas de sobrevida dos transplantados.

O documento revela, por exemplo, que 77% de todas as pessoas submetidas a transplante de coração sobreviveram. Entre aqueles que receberam um rim, o índice foi de 98%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.