Doação de sangue cai mais de 60% no Rio

As doações de sangue para o Instituto Estadual de Hematologia do Rio de Janeiro (Hemorio) caíram mais de 60% nos últimos dois meses. Com os estoques reduzidos, o atendimento emergencial, as cirurgias e o tratamento de doenças crônicas podem ser afetados.

AE, Agência Estado

29 Maio 2012 | 09h04

"O brasileiro não tem o hábito da doação de sangue. Por isso estamos fazendo campanhas para mostrar às pessoas (a importância das doações) e criar um envolvimento", disse a coordenadora do Hemorio, Janine Cardoso.

Na tentativa de restabelecer o nível dos estoques e evitar a paralisação do atendimento, o Hemorio realizou ontem uma campanha para conscientizar a população sobre o assunto, no bairro de Guadalupe, na zona norte.

Itinerante, a ação é realizada desde o início do ano e atende também a cidades da região metropolitana do Rio. De acordo com Janine, a chegada do inverno e das férias escolares de julho podem influenciar negativamente os estoques do banco de sangue do Hemorio.

Orientações

Entre as recomendações para os doadores estão repousar no mínimo seis horas na noite anterior à doação, não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes e não fumar, além de evitar alimentos gordurosos durante um período de quatro horas.

Pessoas acima de 50 quilos e com idade entre 16 (com autorização do responsável) e 68 anos, em bom estado de saúde, estão aptos a doar sangue. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Mais conteúdo sobre:
saúdesanguedoações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.