Doadores esperam comprometer US$16 bi em auxílio ao Afeganistão

Os doadores devem comprometer US$ 16 bilhões em auxílio para o Afeganistão nos próximos quatro anos, disse uma autoridade norte-americana no sábado, enquanto Washington mantinha a promessa de declarar o país um importante aliado fora da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

ARSHAD MOHAMMED, Reuters

07 de julho de 2012 | 17h01

A promoção no status de segurança do Afeganistão, uma medida em grande parte simbólica por enquanto, e uma conferência de doadores a ser realizada em Tóquio no domingo visam reforçar a mensagem dos EUA aos afegãos de que eles não serão abandonados quando a guerra amainar.

O novo status pode ajudar o Afeganistão a adquirir estoques de defesa norte-americanos e ter um acesso maior ao treinamento norte-americano, conforme o exército afegão assume mais responsabilidade pela segurança do país antes da retirada da maior parte das tropas de combate da OTAN em 2014.

A fadiga dos doadores e o desgaste da guerra estão cobrando seu preço sobre quanto tempo a comunidade mundial está disposta a apoiar o Afeganistão, e há temores de que sem o apoio financeiro o país possa voltar ao caos quando as tropas estrangeiras se retirarem.

"Por favor, saibam que os Estados Unidos serão seu amigo e seu parceiro. Nós não estamos nem mesmo imaginando abandonar o Afeganistão. Bem ao contrário", disse a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, em uma coletiva de imprensa com o presidente afegão, Hamid Karzai, em uma visita não anunciada a Cabul antes de viajar para Tóquio.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTODOADORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.