Docentes acham que tecnologia tira a atenção do jovens

Duas enquetes feitas nos Estados Unidos com professores registram essa crença, questionada pelos próprios pesquisadores

NOVA YORK , O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2012 | 02h07

Existe uma crença generalizada entre professores de que o uso constante da tecnologia digital pelos estudantes está desviando sua atenção e capacidade para perseverar quando eles se deparam com tarefas difíceis. Foram as conclusões de duas pesquisas realizadas nos Estados Unidos e divulgadas na semana passada.

Os pesquisadores observaram que essa crença generalizada representa as opiniões subjetivas dos professores e não devem ser vistas como uma prova definitiva de que o uso massificado de computadores, celulares e videogames afeta a capacidade de concentração.

Uma das pesquisas foi realizada pelo Pew Internet Project, divisão do Pew Research Center, que concentrou o estudo no aspecto da tecnologia. A outra foi feita pela organização Common Sense Media, de San Francisco, que orienta os pais sobre o uso da mídia pelas crianças. Ela foi conduzida por Vicky Rideout, pesquisadora que anteriormente procurou mostrar que o uso da mídia por crianças e adolescentes entre 8 e 18 anos cresceu tão rápido que, neste ano, eles passaram em média duas vezes mais tempo diante das telas que na escola.

Professores que não foram ouvidos nas pesquisas comentaram as conclusões em entrevistas, afirmando que precisam trabalhar muito para conseguir atrair e manter a atenção dos seus alunos.

"Tenho de entretê-los. Preciso cantar e dançar para atrair a atenção deles", disse Hope Molina-Porter, de 37 anos, professora de inglês na Troy High School, em Fullerton, Califórnia, que leciona há 14 anos. Ela dá aula para alunos mais dotados, mas tem observado nos trabalhos escritos uma queda marcante na profundidade e na capacidade de análise.

Evidências indiretas. Especialistas que estudam o papel da mídia na sociedade afirmam que nenhum estudo de longo prazo conseguir mostrar até hoje, de modo adequado, como e se a atenção dos alunos mudou por causa da tecnologia digital. Mas aumentam as evidências indiretas de que o uso constante da tecnologia pode afetar o comportamento, particularmente em cérebros em desenvolvimento, por causa do forte estímulo e das rápidas mudanças na atenção.

Kristen Purcell, diretora de pesquisa no Pew Center, reconhece que as conclusões podem ser vistas sob outra perspectiva, ou seja, o sistema educacional tem de se adequar à maneira como os alunos aprendem, argumento que alguns professores têm apresentado nos próprios grupos de estudos.

"O que estamos rotulando como distração, alguns consideram ser uma falha dos adultos em não ver como as crianças processam a informação", disse Kristen. "Eles não afirmam que a distração é boa, mas que o rótulo 'distração' é um julgamento desta geração."

Ainda segundo as pesquisas, muitos professores afirmaram que a tecnologia pode ser uma ferramenta educacional útil. No estudo do Pew, cerca de 75% dos 2.462 professores entrevistados disseram que a internet e as ferramentas de busca, como o Google, o Bing e o Yahoo! têm um impacto "geralmente positivo" na capacidade de pesquisa dos alunos.

Eles também afirmaram que essas ferramentas tornaram os estudantes pesquisadores mais independentes. Mas quase 90% dos docentes também disseram que as tecnologias digitais estão criando "uma geração distraída, com pouca capacidade de concentração".

Similarmente, dos 685 professores questionados no projeto da Common Sense Media, para 71% a tecnologia está prejudicando a capacidade de atenção dos alunos "um pouco" ou "muito". Cerca de 60% afirmaram que ela tem prejudicado a capacidade do aluno de escrever e se comunicar diretamente e quase a metade acha que a tecnologia tem afetado o pensamento crítico dos alunos e sua habilidade para fazer os deveres em casa.

Em entrevistas, descreveram o que pode ser chamado de "problema da Wikipédia", caso em que os alunos ficam muito acostumados a obter respostas rápidas com alguns toques no teclado e assim são mais propensos a desistir quando uma resposta fácil lhes escapa. Segundo a pesquisa do Pew Center, 76% dos professores acham que os estudantes estão condicionados pela internet no sentido de encontrar resultados rápidos para questões que eles devem responder.

Olhares positivos. Para outros professores, a tecnologia é mais solução que problema. Dave Mendell, de 44 anos, professor do quarto ano do curso elementar em Wallingford, Pensilvânia, disse que os videogames educacionais e as apresentações digitais são meios excelentes para os alunos.

Ao mesmo tempo que explorou como a tecnologia tem afetado a capacidade de concentração, a pesquisa da Pew também examinou como a internet mudou os hábitos de pesquisa. O estudo da Common Sense se concentrou mais em saber como os professores encaram o impacto da mídia de entretenimento sobre uma série de aptidões em sala de aula.

Essas pesquisas contêm algumas conclusões que parecem contraditórias. No estudo da Common Sense, por exemplo, alguns professores afirmaram que mesmo observando uma diminuição da capacidade de atenção dos alunos, eles estão melhorando em matérias como matemática, ciência e leitura. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.