Documentado pela 1ª vez código genético de marsupial

Um grupo de cientistas australianos revelou nesta terça-feira que conseguiu estabelecer as seqüências do genoma de um marsupial, pela primeira vez, junto a colegas americanos e europeus. A bióloga Katy Belov, da Universidade de Sydney, que liderou a equipe de cientistas, explicou como foi a documentação do genoma do golicorto cinza (Monodelphis domestica), um mamífero marsupial da América do Sul conhecido entre os especialistas como "opossum" ou zarigüeya.Ao estabelecer as seqüências do genoma do marsupial os cientistas puderam acompanhar a evolução do sistema imunológico dos mamíferos até tempos ancestrais e concluir que o sistema imunológico dos humanos é muito mais moderno do que se achava, explicou Belov.As conclusões da pesquisa, realizada no "Broad Institute" dos Estados Unidos, serão publicadas nesta terça-feira na revista científica PLoS Biology.Os marsupiais da América do Sul se diferenciaram dos australianos há aproximadamente 70 milhões de anos e continuaram evoluindo independentemente até agora. Hoje, eles possuem grandes diferenças.Por isso, Belov ressaltou a necessidade de continuar pesquisando outras espécies, como o ornitorrinco, um monotrema ou mamífero que põe ovos, que acredita-se que apareceu há 210 milhões de anos.O trabalho publicado hoje sobre os opossums, será completado com o projeto de pesquisa das seqüências do genoma do "wallaby tammar", uma espécie muito pequena de canguru geralmente utilizada para o estudo genético destes marsupiais, que está sendo feito nas Instalações australianas de Pesquisa do Genoma e no Centro de Seqüência do Genoma Humano nos Estados Unidos.Belov concluiu que ao contar com o genoma dos marsupiais sul-americanos e dos australianos, "poderemos prever as seqüências de todos os marsupiais".

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2006 | 12h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.