Doença fúngica ameaça produção orgânica na região

Uma nova doença nas lavouras de batata-doce da região de Prudente tem causado preocupação. A doença do mal-do-pé, que provoca dano severo na rama principal, é causada por um fungo e pode ter aparecido por causa do excesso de chuvas. "Perdi 2,5 hectares", diz o produtor Luiz Roberto Udenal, de Anhumas, que planta 10 hectares.

O Estado de S.Paulo

12 de maio de 2010 | 02h23

Segundo ele, se a doença persistir será difícil manter a produção orgânica. O produtor Elio Portella também perdeu 25 hectares de batata-doce. "Além de problemas com broca, lagarta-da-rosca, larva-do-alfinete, percevejo e viroses, apareceu mais essa doença. Temos que ir atrás de soluções, porque o prejuízo é enorme." Segundo a Embrapa Hortaliças, a rotação de culturas pode ser uma aliada do produtor no controle de pragas e doenças. "Plantios sucessivos em um mesmo local aumentam a ocorrência de pragas e doenças e provocam redução da produtividade. A rotação é uma prática sempre recomendada, que conserva o solo e compõe um manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas", dizem os pesquisadores João Bosco Carvalho da Silva, Carlos Alberto Lopes e Janaina Silvestre Magalhães. Segundo eles, durante dois ou três anos não se deve cultivar a mesma área com batata-doce. Outra dica é evitar cultivar batata-doce em seguida a uma leguminosa, pois o excesso de nitrogênio provoca grande desenvolvimento vegetativo e pouca produção./ F.Y.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.