Dois militares são baleados por PM em briga de trânsito no Rio

Policial militar e dois cabos do exército se envolveram em acidente de trânsito no Túnel Rebouças

Clarissa Thomé, do Estadão,

02 de novembro de 2007 | 17h30

Dois capitães do Exército foram baleados por um cabo da Polícia Militar, após uma briga de trânsito na noite de quinta-feira, 1º. Os três envolveram-se em um acidente de trânsito sem gravidade no Túnel Rebouças, próximo ao Rio Comprido, na zona norte do Rio de Janeiro. Os oficiais recusaram-se a aguardar pela polícia para fazer o boletim do acidente. Segundo depoimento deles, o PM ficou na frente do carro e disparou contra os ocupantes.Alexandre Henriques Monteiro Ramos foi atingido em um dos cotovelos. Cristiano Zaconi Limoeiro ficou ferido em uma das coxas. Eles foram atendidos no Hospital Central do Exército, que não divulgou boletim médico, e prestaram depoimento na 6.ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova).O cabo da PM André Luiz da Silva dirigia um Gol descaracterizado. Os militares seguiam em um Fiat Stilo, quando houve a batida na saída do túnel. De acordo com a Polícia Civil, tanto o PM quanto os militares se identificaram. No depoimento dos oficiais, eles afirmam que chegaram a trocar telefones e endereços.DiscussãoMas Ramos e Limoeiro não quiseram permanecer no local para esperar o policial militar que faria o Boletim de Registro de Acidente de Trânsito (Brat). Houve então uma discussão. Os oficiais contaram que entraram no Stilo, enquanto Silva ficou de pé em frente ao carro, empunhando a arma. Ramos, que era o motorista, acendeu os faróis e fez menção de dar a partida. Foi quando o militar fez os disparos.Feridos, os oficiais seguiram para o Hospital Central do Exército. Silva foi à 6.ª Delegacia de Polícia (Cidade Nova) para registrar o caso. O cabo foi indiciado por lesão corporal. Os militares foram autuados por fuga de local de acidente. Ramos também responderá por embriaguez ao volante.A Secretaria de Segurança informou que também será aberto Inquérito Policial Militar para apurar a conduta do cabo, que ficará afastado do serviço no Departamento Geral de Pessoal, onde está lotado. Ninguém foi encontro no Serviço de Relações Públicas do Comando Militar do Leste para comentar o episódio envolvendo os dois oficiais do Exército.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.