Dois sobreviventes são resgatados de navio italiano

Um casal sul-coreano que estava em lua de mel foi resgatado do navio italiano que capotou no domingo, mais de 24 horas depois do acidente, e as equipes de resgate também estavam tentando salvar outra pessoa que estava presa a bordo da embarcação.

GAVIN JONES E ANTONIO DENTI, REUTERS

15 de janeiro de 2012 | 09h54

Equipes estavam revistando os milhares de quartos do Costa Concordia em busca das quase 40 pessoas que ainda estava desaparecidas depois que o enorme navio encalhou e tombou com mais de 4 mil pessoas a bordo, matando ao menos três pessoas e deixando outras 70 feridas.

A tarefa era semelhante à busca feita em um pequeno vilarejo -- mas com o chão inclinado, grandes áreas no escuro e submerso em água congelante. Muitos mergulhadores também estavam participando do trabalho de resgate.

Pouco depois do amanhecer deste domingo, uma equipe conseguiu fazer contato por voz com um terceiro sobrevivente a bordo do navio. "Estamos fazendo o impossível para chegar a essa pessoa", disse o porta-voz da guarda costeira, Luciano Nicastro, à televisão italiana.

Depois da meia-noite, as equipes haviam encontrado dois sul-coreanos ainda vivos em uma cabine, depois de localizá-los a partir de alguns andares acima. Eles foram levados para a terra firme, e tinham um olhar atordoado, mas não tinham ferimentos.

Francesco Schettino, o capitão do navio de luxo, de 114.500 toneladas, foi detido e é acusado de homicídio múltiplo, de causar o naufrágio e de abandonar o navio, disse a polícia italiana.

Os passageiros compararam o desastre ao filme "Titanic", e falaram de pessoas em pânico saltando ao mar e brigando por coletes salva-vidas quando o navio atingiu uma rocha e começou a afundar perto da ilha de Giglio, na noite de sexta-feira.

Dois turistas franceses e um tripulante peruano morreram, enquanto 38 pessoas estão desaparecidas.

O enorme casco do navio de cruzeiro, de 290 metros de comprimento, estava inclinado e submerso até a metade em frente ao porto de Gigilo, uma ilha pitoresca e uma reserva marítima natural próxima à costa da Toscana. A embarcação tinha uma rachadura grande e visível na lateral.

O navio era um resort flutuante, com mais de 2 mil cabines e equipado com um spa enorme, sete restaurantes, bares, cinemas e discotecas.

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIACRUZEIRORESGATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.