Dólar cai mais de 3% acompanhando movimento internacional

Moeda norte-americana termina o dia cotada a R$ 2,345, mas ainda acumula alta em dezembro; Bovespa sobe

Reuters,

11 Dezembro 2008 | 16h42

O dólar fechou em forte queda nesta quinta-feira pela terceira sessão consecutiva, impactado pelo otimismo do cenário mundial, atuações do Banco Central e movimentos no mercado derivativo doméstico. A moeda norte-americana caiu 3,50%, a R$ 2,345. Apesar da queda desta sessão, a divisa ainda acumula alta de 1,21% no mês de dezembro.   Veja também: Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    "O dólar hoje derreteu. Todas as moedas estão subindo lá fora, temos um dia mais otimista, o panorama está melhor, mas essa queda está exagerada", afirmou Luis Piason, gerente de operações de câmbio, lembrando que recentemente, após a intensificação da crise financeira mundial, os mercados têm operado nos extremos, com muita volatilidade.   Na mínima da sessão, o dólar chegou a ser cotado a R$ 2,295, exatamente quando o dólar futuro atingiu seu limite de baixa. Frente a uma cesta com as principais moedas internacionais, a divisa norte-americana despencava 2,25%.   A Bovespa subia 1,32%, impulsionada principalmente pelas ações ligadas a commodities com o petróleo subindo mais de 11%. Piason ressalta ainda a importância dos movimentos nos mercados futuros de câmbio. "Tivemos boa parte da rolagem de swap pra janeiro, retirando parte das pressões sobre o dólar. Os estrangeiros estão tirando o pé".   Nesta quinta-feira, o Banco Central rolou mais 24.400 contratos de swap cambial tradicional, no valor de US$ 1,202 bilhão. Com a operação desta sessão, a autoridade já rolou 151.840 contratos de um lote total de 355,620 contratos que vence em 2 de janeiro.   Nas últimas semanas, os analistas têm apontando como suporte à valorização o forte posicionamento de instituições estrangeiras no mercado futuro. Segundo os últimos dados disponíveis pela BM&F, nas duas últimas sessões os estrangeiros reduziram cerca de US$ 1,5 bilhão as suas posições compradas - que funcionam como uma aposta contra o real.   Apesar da forte queda da moeda norte-americana, o BC ainda realizou um leilão de venda de dólares de reservas no mercado à vista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.